Archives

Xana Gallo caminha para a liberdade em primeiro clipe, “Nada Sei”

A cantora e compositora gaúcha Xana Gallo encara as incertezas de peito aberto no primeiro clipe de seu elogiado disco “Rota de Fuga”, lançado este ano no Dia Internacional da Mulher. O vídeo, gravado na zona portuária de sua cidade natal, Pelotas (RS), aposta na força do feminino, com direção das gêmeas Natalia e Camila Meggiato, à frente do coletivo Fitas Clipe, que conta apenas com mulheres, da filmagem à edição final. O resultado já está disponível no canal oficial de Xana Gallo no YouTube.

Assista “Nada Sei”: https://youtu.be/_8wvO0-isoo

A cantora, que participou ativamente da concepção do clipe, aparece andando pelas ruas logo depois de uma – na verdade, várias – separações. O clipe é confessional, pois a artista passou por inúmeros relacionamentos até descobrir o real significado das palavras intuição e abuso.

A dúvida constante presente no clipe mostra a incerteza do que vem pela frente. O futuro aparece como uma incógnita, mas uma coisa é certa: o retorno da liberdade. “Se vou novamente amar, eu não sei / Só sei que pretendo ficar muito bem / Cada um sabe a paz e o amor que lhe faz bem”, canta Xana, que anteriormente lançou o webclipe  desta canção.

Assista a “Nada sei” no estúdio: https://youtu.be/yGVeMRfCrDk

A entrada e saída de diversas portas são uma imagem simbólica dos relacionamentos dos quais a cantora se libertou. No clipe, uma a uma das portas se fecham, enquanto Xana Gallo sai a andar sem olhar para trás.

“A dúvida e a insegurança do que seria o futuro me acompanharam por algum tempo logo depois que consegui sair de alguns dos relacionamentos abusivos. Muito porque o parceiro, principalmente no final do relacionamento, fazia com que eu me sentisse confusa e culpada por estar deixando para trás um homem ‘tão incrível’, que eu ‘não podia estar certa’. Mas preferi adentrar o incerto e andar comigo mesma a continuar numa realidade sem liberdade, sem conseguir ser eu mesma, embora não soubesse o que viria pela frente. Mas hoje, quase um ano e meio após o término de meu último relacionamento, tenho certeza que valeu muito a pena cada ‘não’ que eu disse e cada porta fechada sem olhar para trás”, reflete a artista.

Xana Gallo (Crédito: Henrique Azevedo)


Em seu segundo disco, Xana Gallo trilha a linha entre prisão e liberdade, submissão (mesmo que inconsciente) e empoderamento. Buscando inspiração na sua própria vida, ela mostra que é possível – e é preciso – seguir em frente, mesmo quando não se consegue ainda enxergar o que vem pela frente.

“Rota de Fuga” é o ponto de chegada de Xana Gallo em todo um processo de despertar pessoal a artístico. Atuando na música desde 2006, ela gravou seu disco de estreia, “Mulheres, Sons, Liberdade”, em 2014. O trabalho contou com a participação de artistas femininas da cena gaúcha e buscou retratar aspectos da cultura negra de sua cidade, Pelotas. Em 2017, Xana se mudou para o Rio de Janeiro em busca de novos palcos e elaborou “Rota de Fuga” com produção musical de Eduardo Neves e uma banda composta pelo contrabaixo de André Vasconcellos, pianos de Adriano Souza e Danilo Andrade e bateria de Antonio Neves.

O álbum, que segue a cronologia de suas relações, aborda histórias de relacionamentos aparentemente normais, que ao longo do tempo revelaram-se nocivos e tiraram a liberdade da cantora. Inicialmente pareciam um conto de fadas, mas levaram à perda do convívio social e estresse pós-traumático após o fim da relação.

Olhando para o futuro, Xana Gallo prepara um novo EP, “Roda, Rodou”. Gravado no Estúdio Marini, de Kassin, pelo produtor Diogo Strausz (Alice Caymmi, Balako, Aymoreco), o compacto deixa para trás a dor e leva a força da mulher em primeiro plano.

O EP é só um dos lançamentos que virão da artista, que desenvolve também um projeto chamado “CompositorA”, onde cria canções em parceria com mulheres de diversas cidades. Elas lhe enviam seus manuscritos (poemas, versos soltos, histórias) por meio das redes sociais, alimentando a importância de as mulheres contarem, juntas, sua própria história.

Antes silenciada, Xana Gallo hoje canta mais alto que nunca.

Assista a “Nada sei”: https://youtu.be/_8wvO0-isoo

Ouça o álbum “Rota de Fuga”: http://bit.ly/RotaDeFugaXanaGallo

Letra:

 

Se vou novamente amar, eu não sei

Se vou conseguir te esquecer, eu não sei

O fato é que eu quis assim, esse fim

Foi difícil

Ainda sei te amar

 

Por onde a vida irá, eu não sei

E qual o caminho seguir, eu não sei

Só sei que pretendo ficar muito bem

Cada um sabe a paz e o amor que lhe convém

 

Quando as coisas não vão mais do jeito que a gente sonhou

Desde o início os sinais

A intuição alertou

E eu me pus a dormir

No teu peito e fiquei mais um pouco

Num tropeço, eu fiquei mais um pouco

E no escuro eu rezei por um novo começo

 

E qual o caminho seguir, eu não sei

Se vou conseguir te esquecer, eu não sei

O fato é que eu quis assim, esse fim

Foi difícil, ainda sei te amar

 

Por onde a vida irá, eu não sei

E qual o caminho seguir, eu não sei

Só sei que pretendo ficar muito bem

Cada um sabe a paz e o amor que lhe convém

 

Quando as coisas não vão mais do jeito que a gente sonhou

Desde o início os sinais

A intuição alertou

E eu me pus a dormir

No teu peito e fiquei mais um pouco

Num tropeço, eu fiquei mais um pouco

E no escuro eu rezei por um novo começo

 

Acompanhe Xana Gallo:

 

Facebook: https://www.facebook.com/xanagalloOficial/

Instagram: https://www.instagram.com/xanagallo/

Deezer: https://www.deezer.com/br/artist/12088836

Spotify: https://open.spotify.com/artist/6k7eWQI43UqEipcZ1e7RBw?si=QErhpnopR2enK6KgzKdZWQ

iTunes: https://itunes.apple.com/us/artist/xana-gallo/1213580743

SoudCloud: https://soundcloud.com/xana-gallo

Palco MP3: https://www.palcomp3.com/xanagallo/

Letras.com: https://www.letras.mus.br/xana-gallo/

Cifras Club: https://www.cifraclub.com/xana-gallo/

 

The Self-Escape lança single “Down To” nos streamings e em sessão intimista

Um clima de indie R&B surge em “Down To”, uma faixa sobre se entregar aos desejos e terceiro single do EP de estreia do projeto pernambucano radicado em São Paulo, The Self-Escape. A música está disponível nos streamings e em uma versão intimista ao vivo. O vídeo foi produzido por Fotura Photography com finalização de áudio de Arthur Azoubel.

Assista a “Down To”: https://youtu.be/VhmlVL1BR48

Ouça “Down To”: http://bit.ly/DownToSingle

Sentindo a necessidade de buscar maior independência e liberdade criativa como criador solo, o pernambucano Felipe Buarque escapou de si próprio no projeto The Self-Escape. Atualmente finalizando seu EP de estreia, ele mistura sons blueseiros de sua guitarra com o minimalismo eletrônico experimental de projetos que o inspiraram, como The Weeknd, Alt-J, The xx e Chet Faker. Essa versão foi fruto de um processo de estudos de produção musical feito por The Self-Escape, buscando uma maior independência durante o processo e em performances ao vivo.

The Self-Escape por André Ferreira

“‘Down To’ conta a história de uma menina tímida, que, pela primeira vez em muito tempo, se vê solteira e consequentemente livre dos compromissos de um relacionamento amoroso. Por outro lado, quando o desejo dela bate mais forte, a timidez torna o processo de saciedade significativamente mais tenso”, explica o artista.

Após apresentar os singles “Ausência” e  “Não Estava Lá”, ele lançou – ainda assinando como Felipe Buarque –  o EP “Uma Carta de Mudança” em agosto do ano passado. O EP foi indicado ao 9º Prêmio da Música de Pernambuco (Promovido pela Associação dos Cantores e Intérpretes de Pernambuco e apoiado pela Rede Globo) na categoria de Melhor Álbum Pop.

Desde o processo deste EP, Felipe se aprofundou nos estudos de produção musical, buscando uma maior independência durante o processo e em performances ao vivo. As pesquisas, unidas à montagem de um home studio, o instigaram a dar um mergulho mais profundo em sua própria identidade como artista.

Junto das anteriores “Five-Two Girl” e “See You There”, o novo single antecipa um EP climático e com uma sensualidade latente, sem perder o tom pop que já destacava sua produção musical quando assinava com o próprio nome.

Assista a “Down To”: https://youtu.be/VhmlVL1BR48

Ouça “Down To”: http://bit.ly/DownToSingle

Ficha Técnica da Session:

Vídeo produzido por Fotura Photography

Finalização de Áudio por Arthur Azoubel

Música e interpretação por The Self-Escape

 

Letra:

 

You took a ride

Nowhere to go

One thing for sure

Is that you were Down To

Walking around town

Phone off, club in, club out

No need to feel down

Low lights scream smoke and fire

You settle in

You order two, three rounds

It’s been a while but you’re single now

Don’t even know what to talk about

Just stare and wonder if they’re Down To

Shivering deep inside your guts

You haven’t been alone (for long)

But even deeper you know

You need to whisper to someone

Hey

I’m

Down

To

 

Siga The Self-Escape:

www.facebook.com/theselfescape

www.instagram.com/theselfescape

 

Prume lança single “Invisible Symphony”

Prume é uma banda recifense que lançou seu disco de estreia em 2016 e está finalizando o seu ciclo, abertos para um novo momento com o single “Invisible Symphony”. A faixa foi produzida e mixada por  Igor Bruno, vocalista da banda, e está disponível em todas as plataformas de música digital.

Ouça “Invisible Symphony”: http://bit.ly/PrumeIS

Produzido em Recife, na praia de Itapuama, e mixado no Rio de Janeiro, o disco de estreia “Learning by Watching” traz influências variadas como Radiohead, Bon Iver, Jungle e Chet Faker e também nacionais como Lenine, Djavan, Alceu Valença e Nação Zumbi. Elas fazem parte da mistura que origina o som espontâneo e repleto de referências do grupo. “Invisible Symphony” foi criada nessa época, mas ficou como inédita por trazer uma sonoridade diferente do disco e agora ganha uma versão de estúdio.

Prume por Marcos André

“Ficamos muito felizes com o nosso primeiro álbum. Foi um retrato do que estávamos curtindo e vivendo na época e foi posto em prática nas músicas. Teríamos feito algo diferente? Sim, com certeza. Mas em um mercado tão desafiador como o atual, achamos que foi um ótimo ponto de partida para nos apresentarmos ao mundo”, conta Cadu Bussad.

Além de Igor e Cadu, a Prume é completa por Felipe Wolfenson,  um trio de músicos que apresentam influências diferentes, porém complementares. Igor é violonista e traz uma forte presença da música brasileira; Cadu é eclético, com influências do pop e do eletrônico; enquanto Felipe é cria do blues e do rock.

Unindo elementos da música eletrônica, do pop e do indie rock em uma mistura contemporânea, o disco rendeu um single de bastante destaque nos streamings (“The Life I Seek”, com quase 500 mil reproduções), clipes e sessão ao vivo. Para o ano que vem, o grupo promete novas faixas e irá se basear em São Paulo.

Ouça “Invisible Symphony”: http://bit.ly/PrumeIS