Arquivo de releases

El Efecto e Daíra se unem em vídeo ao vivo

De um lado, uma das bandas mais marcantes da cena independente carioca, dona de canções desafiadoras e políticas. Do outro, uma voz doce e, ao mesmo tempo, potente. Juntos no palco, El Efecto e Daíra mostram uma interpretação única para a faixa “Ciranda”, que abre o álbum “A Cantiga é uma Arma” (2014). A performance foi gravada no ano seguinte, em um show no Centro de Referência da Música Carioca Artur da Távola, na Tijuca.

El Efecto por Edson Rodriguez

Quase dois anos depois, o vídeo ao vivo foi disponibilizado pela banda em seu canal do YouTube, juntamente de outros registros da mesma noite. A filmagem da produtora tocavídeos mantém o foco no palco, onde Daíra e El Efecto mostram uma versão acústica da canção.

Daíra por Carolina Muait

A apresentação aconteceu durante o show de lançamento do álbum “A Cantiga é uma Arma”, onde a El Efecto reforça a sua pegada de rock mesclado a ritmos regionais brasileiros, além de destacar o talento para a construção de letras provocadoras. Para acompanhar esta nova interpretação de “Ciranda”, Tomás Rosati (voz e percussão), Bruno Danton (voz e viola caipira), Eduardo Baker (baixo), Pablo Barroso (violão e voz) e Gustavo Loureiro (percussão) convidam o vocal de Daíra, que à época já chamava atenção com seu álbum “Flor”. Agora, a artista se prepara para divulgar seu próximo disco, que trará releituras do cancioneiro de Belchior.

Essa junção faz sentido quando se ouve a letra da música. Versos como “Árvore que dá o fruto / Num processo tão bonito / Do fruto nasce a semente / E assim se repete o ciclo / Ciclo onde o dinheiro é nada / Lá quem manda é o mistério / Voz de fora mercenária / Inventa a semente estéril / Diz que a vida é linha reta / E que não para de subir / Quem perde o bonde do progresso / Não terá espaço aqui” entregam essa verve poética e de crítica social da canção.
Confira o vídeo de “Ciranda”, acústico e ao vivo:

Gravado em 2 de outubro de 2015 no Centro de Referência da Música Carioca Artur da Távola, na Tijuca (Rio de Janeiro/RJ), durante show de lançamento do álbum “A Cantiga é uma Arma”.

Banda:

Tomás Rosati: voz e percussão

Bruno Danton: voz e viola caipira

Pablo Barroso: violão

Eduardo Baker: baixo

Gustavo Loureiro: percussão

Iuri Gouvêa: produção executiva

Elton Bozza: técnico de gravação

Convidada especial: Daíra

 

Direção: Luís Martino e Fernando Neumayer

Imagens: Luís Martino, Fernando Neumayer, Diego Padilha, Matheus Cabral, Rafael Mathias e João Campos

Assistente de Produção: João Campos

Edição e Finalização: Luís Martino

Alvares apresenta releitura de Pabllo Vittar; ouça “K.O.”

Assim como o amor irresistível narrado na letra, “K.O.” tem uma melodia que não sai da cabeça. Sucesso da cantora Pabllo Vittar, a música ficou conhecida pela batida que remete ao tecnobrega e pela narrativa bem humorada. Agora, é hora de conhecer um outro lado dessa canção no cover de Alvares, cantor paraense radicado no Rio.

Nessa releitura, o “knock out” é mais suave. A performance na sala de casa, à meia luz, tem acompanhamento de um violão discreto. No vocal, Alvares entrega o lado mais sensual e reflexivo da composição.

O vídeo inaugura uma série de covers que o cantor se prepara para lançar. “A ideia de regravar essa música surgiu no meio do processo de gravação dos covers. Eu já tinha produzido outras duas, então no meio de um bate papo com o Pedro Oliveira (diretor de 90% dos meus vídeos), nós pensamos que seria legal ter algo bem pop também, tendo em vista que os covers já eram mais indie. Tínhamos acabado de ver o clipe de K.O., que tem uma fotografia foda, e eu fiquei com isso na cabeça. Não demorou muito pra chegarmos ao consenso de que essa deveria ser a música”, lembra Alvares.

Como boa parte do público, ele conheceu o trabalho de Pabllo com o clipe de “Open bar”, graças ao arranjo e roupagem da que a artista deu para o sucesso “Leon On” do Major Lazer. Com a releitura de uma de suas canções, Vittar passa a integrar o repertório do artista, que tem show em 31/05 no Rio.

Alvares leva o ouvinte para novas experiências sonoras. Reunindo a verve inovadora e inquietante da personalidade do artista com experimentações musicais sem amarras, surge um som calcado na liberdade do fazer criativo. O violão é sutil, as guitarras têm delays e a voz é carregada pelos reverbs. No meio disso tudo, crônicas urbanas que surgem da boemia da noite carioca. No EP  “Sala de Estar Experimental – Volume 01” é possível conferir o resultado do experimentalismo musical de Alvares. 2017 já trouxe novos sons, com o EP “Primeiro”. Já disponíveis nas principais plataformas de streaming, os trabalhos são lançamentos da DALS Records, selo carioca fundado pelo próprio produtor e músico.
Assista “K.O.”:

“Camarote particular” traz clima dançante para novo single de BĒ

O cantor carioca BĒ mostra a sua vocação para fazer dançar no single pop “Camarote particular”. A música traz como mensagem a autoestima e a liberdade de ser quem se é. Voz conhecida por reinterpretar sucessos do pop internacional, BĒ lança sua carreira pelo selo DALS Records. A música já se encontra disponível nas principais plataformas de streaming e no YouTube.

Nada melhor do que começar a construir essa sonoridade com a cara do autor. Na letra, a pista é dominada por mulheres determinadas e poderosas, a exemplo de pessoas na vida do próprio cantor. A vibe positiva da canção não é à toa. BĒ acredita que a noite é de todos, independentemente de qualquer coisa:

BE por Guilherme Lima

“A música foi total pensada no sentido de embalar a noitada das pessoas, trazer esse ar de felicidade. O camarote é particular, porque cada um faz o seu, cada um curte da maneira que quiser, dança da maneira que quiser e é feliz do jeito que todos nasceram pra ser, basta que você ache sua felicidade particular e não depender da do outro”, explica.

A faixa marca uma parceria entre o artista e o cantor e compositor Alvares, que assina a música e é co-autor da letra ao lado de BĒ. A produção é assinada por Phunktronick, sinônimo de batidas cheias de personalidade na cena carioca. Pedro Paulo Monnerat é o responsável pela mixagem e masterização.
Ouça “Camarote Particular”:

Ouça “Camarote Particular”:

Spotify: https://open.spotify.com/album/5xHBJkvjJI1rJa3UzgiTy8

Deezer: http://www.deezer.com/album/41776471

Google Play: https://play.google.com/store/music/album/BE_Camarote_Particular?id=Bu7kmqvzx3zoiaimxakel25jjtu&hl=pt_BR