Bratislava (SP)

A Build Up Media acompanha a Bratislava, banda paulistana que passou por palcos importantes como Lollapalooza Brasil e Festival Bananada.

Sobre a Bratislava

Feitos um para o outro, a poesia e o rock experimental correm juntos no som da Bratislava. Formada em 2010, a banda traz no currículo cinco trabalhos lançados – os EPs “Longe do Sono” e “Aprender a morrer” (com o poeta Victor Rodrigues) e os discos “Carne”, “Um Pouco Mais de Silêncio” e “Fogo”.  Seu 2º álbum figurou em diversas listas de Melhores do Ano de 2015, como Brasileiríssimos, RockInPress, Embrulhador, Jardim Elétrico, entre outros, e colocou a banda entre as apostas do jornal Estadão (Caderno 2, 29/12/15) para 2016.

E eles não decepcionaram: a Bratislava foi uma das atrações do festival Lollapalooza Brasil 2017. Com passagens por diversos palcos do país, a banda também soma participações em grandes projetos musicais, como Converse Rubber Tracks, Festival CoMA (BSB), Bananada (GO), Festival Conexão (BH) e Fora da Casinha (SP).

Toda essa experiência culminou no lançamento do álbum “Fogo”, em julho de 2017. Nele, entre tons agressivos e delicadas faixas, a banda dá vazão a letras de capricho intimista. Trata-se de histórias alimentadas pelos pensamentos do vocalista, compositor e poeta Victor Meira.

“Os sonhos possuem uma linguagem particular que me interessa e me inspira. É a temática central do álbum. São narrativas fantásticas vivenciadas diariamente por todas as pessoas, cheias de potencial hermenêutico, surrealidade, desejo e mistério – mergulhos involuntários no imaginário”, explica.

Sensível não só aos questionamentos internos, a Bratislava introduz o novo disco com “Enterro” – uma dramática narrativa sobre o maior desastre ambiental da história do Brasil, em 2015, na cidade mineira de Mariana. “Sonhando”, “Amor de Chumbo”, “Trancado” e “Céu de Pedra” contam casos de sofrimento, conflitos existenciais, melancolia e amor platônico. “Dança de Doido”, de pegada mais leve e despojada, flerta com o soul, “um convite para a galera desligar dos fluxos cotidianos e dançar com a gente no show”, explica Victor. E a homônima “Fogo”, um furioso e arrebatador autoquestionamento.

Com o lançamento de “Fogo”, a banda figurou em alguns dos principais veículos de música do país, como Monkeybuzz (MTV), Red Bull, Revista Freak e Hits Perdidos, além de marcar presença nas listas de melhores álbuns do ano elaboradas por Tenho Mais Discos Que Amigos, Embrulhador, Rock On Board e Audiograma, entre outros.

O último lançamento da banda é um trabalho experimental ao lado do poeta Victor Rodrigues, o EP “Aprender a Morrer”. Com seu estilo e voz lírica, Victor cria crônicas urbanas sussurradas ao ouvido em um novo modo de pensar um livro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.