Tag Archives

Posts with clipe tag.
Mari Blue abraça o lado irreverente da vida no novo clipe, “Fora de Série”

Após explorar as contradições da vida no bem-recebido single “Mel e Picada”, a cantora e compositora mineira Mari Blue encerra os trabalhos do disco anterior, “Fruto da Flor”, lançado em 2016. “Fora de Série” é uma canção que exalta o incomum, abraça o inusitado e a irreverência. A faixa, que chega como single aos serviços de streaming pelo selo Sagitta Records, ganha um clipe igualmente bem-humorado, com a artista e outros músicos protagonizando cenas improváveis em cenários do Rio de Janeiro.

Assista a “Fora de Série”: https://youtu.be/UPrxcG-yonI

Ouça “Fora de Série”: http://smarturl.it/MariBlueForaDeSerie

Mari Blue sempre mesclou sensibilidade e ironia em suas canções. Em “Fora de Série”, a artista incorpora seu lado teatral, onde iniciou sua trajetória artística há mais de 10 anos. A experiência cênica trouxe forte influência para o modo como ela se apresenta e a força de suas performances.

Desde 2011, Mari Blue foca totalmente seu trabalho artístico na música. Nesses anos ela já lançou três álbuns e acumulou prêmios importantes, como o Festival Nacional da Canção, FEMURC, Festival da Canção Francesa, Festival de Clipes e Bandas 2017 e WebFestValda 2017. Seus dois primeiros discos, “Parte de mim” (2011) e “Parte de Mim 2” (2012), traziam uma artista ainda buscando seu caminho, que ela conquistou em seu último álbum de estúdio “Fruto da Flor”, de 2016. O último single, “Mel e Picada”, teve Blue produzindo, mixando e tocando todos os instrumentos.

Ouça “Mel e Picada”: http://bit.ly/MariBlueMelEPicada

Já para “Fora de Série”, ela se uniu a parceiros notórios na cena carioca. A faixa conta com Mário Wamser nas guitarras e arranjo; Gastão Villeroy no baixo; Cesinha na bateria; Federico Puppi na produção, direção musical e mixagem. Já a masterização é assinada por Giovanni Versari, no La Maestà Studio, na Itália. Wamser e Puppi também marcam presença no clipe como atores, trazendo à tona o lado inusitado do cancioneiro de Mari Blue.

“Esse clipe representa a vontade de me comunicar de forma cada vez mais despojada e alinhada com a linguagem despretensiosa que a internet criou. Eu lido com a criatividade de forma muito fluida e intensa, nesse momento sinto necessidade de vomitar essa loucura de ideias e filosofias que envolvem minha música”, conta a artista.

A inspiração veio de uma placa, acima do vaso sanitário em um banheiro público, que dizia “sorria, você está sendo filmado”. A presença inesperada do aviso irônico em um espaço de suposta privacidade fez surgir uma série de provocações que acabaram se tornando o roteiro de “Fora de Série”.

“Na verdade, foi a imagem inicial do roteiro do clipe que escolheu a música, e eu amo ‘Fora de série’, ela é muito profunda, fala de contradição, ego e liberdade. Eu a canto para mim mesma muitas vezes, para me lembrar do que eu já sei. Tem muitos signos nesse clipe, muitas coisas sendo ditas nos detalhes e tudo com bom humor”, analisa Mari Blue, que assina direção, roteiro, cenário, filmagem, figurino e edição do vídeo. Com a câmera na mão ou apontada em sua direção, a artista mostra uma visão única para as ruas de Copacabana, além de levar quem assiste à intimidade de seu quarto e banheiro.

“Fora de Série” encerra os trabalhos do aclamado álbum “Fruto da Flor” e abre caminho para o novo disco de Mari Blue, previsto para 2019.

Assista a “Fora de Série”: https://youtu.be/UPrxcG-yonI

Ouça “Fora de Série”: http://smarturl.it/MariBlueForaDeSerie

Ficha técnica:

Vídeo:

Direção, roteiro, cenário, câmera, figurino e edição: Mari Blue

Câmera: Mário Wamser

Atores: Mário Wamser, João Cantiber, Federico Puppi, Gabriel Barreto, Mariana Puttini e Vanessa Longoni

Música:

Mari Blue: Voz, teclados, letra e música

Mário Wamser: Guitarras e arranjo

Federico Puppi: Produção, direção musical, mixagem

Gastão Villeroy: Baixo

Cesinha: Bateria

Giovanni Versari: Masterização (La Maestà Studio, Itália)

Gravado e mixado no estúdio Ouvido em Pé, Rio de Janeiro.

Letra

Deus anda me testando

Que é pra ver se sou mesmo forte

Pra amar sem ter, não invejar sem poder

Viver sem contar com a sorte

Nem sempre a coisa é fácil

Mas pode um dia ser útil

Sentir a alma parar

E não deixar o corpo estático

Conseguir não ser narcótico

Manter pensamento lúcido

Poder se encantar com o lúdico

Sem perder o instinto prático

Deus anda me testando

Que é pra ver se eu esqueço o norte

Pra andar sem ver

Aceitar o prazer

Poder também contar com a sorte

Me despeço e me desfaço

Me descaso com o fútil

E se a fumaça aumentar

Vou colocar no fogo fraco

Não preciso de um protótipo

Nem preciso ser inútil

Nem primeiro, nem o último

No rascunho me destaco

Isso não vai me converter

Seu tédio cava o que te fere

E o que o difere de você

Não tem valor

É sacrilégio

Mas eu tô fora de série

Fora do sério

Por recusar o remédio

Fora de série

Às vezes fora do sério

Por recusar o remédio

Relacionamentos contemporâneos e sua liquidez são destaque em “Vapor”, novo single de Victor Mus

Destaque da novíssima MPB indie carioca, Victor Mus estreia a nova fase da sua carreira com o single e clipe “Vapor”, feitos através do edital Novos Talentos da Música, da FIRJAN. A faixa dialoga com o conceito de liquidez dos relacionamentos amorosos atuais, com produção musical de Rogério da Costa Jr. e Rodrigo Vidal (Caetano Veloso, Maria Gadú). A canção já está disponível em todas as plataformas de música digital.

Assista a “Vapor”: https://youtu.be/UqslNrmaj0E

Ouça “Vapor”: http://smarturl.it/vaporvictormus

O conceito de amores líquidos, tecido pelo sociólogo Zygmunt Bauman, foi descrito pelo próprio como “o amor a partir do padrão dos bens de consumo: mantenha-os enquanto eles te trouxerem satisfação e os substitua por outros que prometem ainda mais satisfação.” “Vapor” compreende que, assim como se desfazem com facilidade, os vínculos afetivos também se constroem rápido demais.

“A música fala bastante das relações entre as pessoas, em como essas relações se constroem e desconstroem com facilidade e que não necessariamente deve-se ficar mal por elas. É importante entender que faz parte da vida”, explica o artista.

Victor Mus (Foto: Zéca Vieira)

Victor Mus é um dos talentos da nova geração da música brasileira. Unindo a leve voz rouca com os acordes do violão, suas canções falam de amor e afeto de modo único e moderno em forma de poesia. Ele ganhou destaque nas plataformas de música com o EP “Chão de Terra” (2017). O lançamento abriu caminho para que dividisse palco com artistas como Tuyo (PR), Barro (PE), Sinara (RJ) e Aline Lessa (RJ) e participasse do projeto Os Sons do Rio, montado pela Secretaria de Cultura do Estado do RJ em parceria com a Deezer.

Mus foi um dos 12 selecionados pela FIRJAN no edital Novos Talentos da Música para produção do single e clipe. Além dele, foram prestigiados outros 11 artistas destaque da cidade, como Pietá, Facção Caipira, Pedro Mann e Isadora Melo. Em “Vapor”, Felipe Melanio assina violão e viola caipira, Viny Melanio, o baixo, Lourenço Monteiro está na bateria, as cordas foram compostas por Pedro Mibielli, Cesão Lira está na percussão e o backing vocal ficou com Jonathan Panta. A faixa está disponível em todas as plataformas.

Assista a “Vapor”: https://youtu.be/UqslNrmaj0E

Ouça “Vapor”: http://smarturl.it/vaporvictormus

Ficha Técnica:

Produzido por: Rodrigo Vidal e Rogério da Costa Jr.

Direção Artística: João Suprani

Produção Executiva: Rebuliço

Apoio: Oi Futuro – LabSonica

Realização: FIRJAN SESI

Gravado e Mixado no LabSonica – Oi Futuro

Engenheiro de Gravação: Rodrigo Vidal

Pós-produção de áudio: Gustavo Krebs

Engenheiro de Mixagem: Rodrigo Vidal

Masterizado no Magic Master por: Ricardo Garcia

Autor: Victor Mus

Produção: Rebuliço e Brick Media

Direção: Miguel Moura e Lufe Berto

Argumento: João Suprani

Roteiro: Rebuliço

Elenco Principal: Sol Menezzes e Samuel Toledo

Elenco de Apoio: Victor Mus, Raissa Venâncio, Gabriel Coutinho, Gabriela Alves, Bete Chaves e Gabriel de Góes

Preparação de Elenco: Raissa Venâncio

Produção Executiva: João Suprani

Direção de Produção: Flávia Salles

Assistente de Direção: Vanessa Cunha

Assistente de Produção: Raphael Sanguinete

Direção de Fotografia: Natália Moretz-Sohn

Assistente de Fotografia: Diogo de Oliveira

Direção de Arte: Maria Thereza Macedo e Isis Gomes

Maquiagem e Cabelo:Elena Pazuello

Montagem: Miguel Moura e Lufe Berto

Cor e Finalização: Miguel Moura e Lufe Berto

Still: Zéca Vieira

Arranjo: Rogerio da Costa Jr.

Voz: Victor Mus

Backing Vocal: Jonathan Panta

Bateria: Lourenço Monteiro

Percussão: Cesão Lira

Baixo elétrico: Viny Melanio

Violão e Viola Caipira: Felipe Melanio

Cordas: Pedro Mibielli

Letra:

Como faz pra não gostar mais

Tão depressa assim

Ficar tudo bem eu sei que vai

Já morri demais

Pra morrer de novo aqui

Me ensina a ignorar o efeito desse amor

De todas as toxinas que causam ardor

E esse suor na mão, a hipertensão

Que é só ver tua foto e o coração

Vira vapor

Tu é toda cinematográfica

E eu tão teatral

Tua vida toda acrobática

E eu aqui tão trivial

Todo sumiço é uma dádiva

Se um não quer estar

E quem sou eu?

E quem sou eu pra julgar?

E quem sou eu?

Que bom poder sentir saudade

O fim às vezes não é final

É pausa, um break, um tempo, um recomeço

Antes de chorar a tristeza

Sempre me pergunto

Será que eu mereço?

Será, vai lá, vai lá

Eu sei que tu gosta de ver

O mundo tem pra olhar

Tem gente que vem a turismo

Tem gente que vem pra morar

E quem sou eu?

E quem sou eu pra julgar?

Me ensina a ignorar o efeito desse amor

De todas as toxinas que causam ardor

E esse suor na mão, a hipertensão

Que é só ver tua foto e o coração

Vira vapor

Vira vapor

Acompanhe Victor Mus

Site oficial: http://www.victormus.com.br/

Facebook: https://www.facebook.com/victormusoficial

Instagram: https://www.instagram.com/musvictor/Youtube: https://www.youtube.com/victormus

Montanee surge intensa no clipe de “Burning Man”

Da troca entre guitarras, baixo e bateria e um vocal rasgado, surge o novo clipe da banda carioca Montanee. Em “Burning Man”, o grupo baseia o vídeo na força de sua performance, que se concretizará no primeiro EP, previsto ainda para 2019. A faixa também está disponível nos serviços de streaming de música.

Assista a “Burning Man”: https://youtu.be/bTASyDwXM-M

Ouça “Burning Man”: http://smarturl.it/MontaneeBurningMan

A Montanee é uma banda de rock alternativo com tons de indie, stoner e post-punk revival. A nova música soma a essa sonoridade, já apresentada no single “Keep falling”. Seguindo a estética em preto e branco do clipe anterior, aqui o quarteto se apropria do peso da letra e da música, apostando na simplicidade sem abrir mão da intensidade. Em cena estão apenas os quatro instrumentistas, registrados por uma câmera urgente, com frames acelerados e cortes ágeis. Esse casamento perfeito foi a escolha da Montanee para mais uma amostra do que vem por aí em seu trabalho de estreia.

Montanee (Crédito Artur Medina/Rafael Hansen)

Veja “Keep Falling”: https://youtu.be/hSejgkzrXLQ

“É uma unanimidade entre nós que “Burning Man” é a música que melhor representa o nosso som e como a banda é ao vivo. É uma música forte, cheia de energia e, principalmente, sincera. Escrever essa música foi muito importante pra mim, ela representa o fim de um ciclo na minha vida e transformar esse momento em música, de alguma maneira, me deixou muito mais leve para seguir outros caminhos”, avalia o vocalista e guitarrista Felipe Areias. Além dele, completam a banda Raphael Cardoso (baixo), Teo Kligerman (bateria) e Pedro Domicio (guitarra).

Em abril, Felipe e Raphael embarcam para os Estados Unidos, onde realizarão uma mini turnê stripped down com versões acústicas de suas músicas. Até o momento estão previstos shows pela costa oeste e também em Nova Iorque. Mais detalhes serão anunciados em breve.

Com “Burning Man”, a banda solidifica cada vez mais seu nome no cena do rock autoral nacional e segue preparando outras novidades que vão surpreender os ouvidos.

Assista a “Burning Man”: https://youtu.be/bTASyDwXM-M

Ouça “Burning Man”: http://smarturl.it/MontaneeBurningMan

Ficha técnica:

Videoclipe

Direção: Felipe Areias

Direção de Fotografia: João Rocha e Artur Medina

Edição: Felipe Areias

Correção de Cor: João Rocha

Assistente de Direção: Lucas Cardoso

Montanee: Felipe Areias, Raphael Cardoso, Teo Kligerman, Pedro Domicio

Áudio

Música/Letra: Felipe Areias

Voz, Guitarra: Felipe Areias

Baixo: Raphael Cardoso

Bateria, Backing Vocals: Teo Kligerman

Synth: Pedro Domicio

Guitarra: Diogo Panico

Mixagem, Masterização: Raphael Stolnicki

Letra

You

You were the only one

You were the only one for so long

Now you’re not alone

Okay, go wipe the tears away

And I

I am the only one

I am the only one who’s trying

To be true in here

You see, you’re not the same as me

You’ve made me who I am (who I am)

The burning man

Blood mixed into sand

You

You were the only one

You were the only one for so long

Now you’re dead and gone

Okay, go wipe the tears away

And I

I am the only one

I am the only one who’s trying

To get out of here

Oh dear, just let me disappear

You’ve made me who I am (who I am)

The burning man

Blood mixed into sand

I’ve been living down (living down)

Just to lift you up

And you mess it around

You know who I am (who I am)

The only man

You won’t have again